Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Viajante de fraldas

Roteiros,dicas e partilha de experiencias para inspirar e incentivar viagens em família. Blog sobre viagens com crianças, actividades, psicologia infantil e muito mais.

Viajante de fraldas

Roteiros,dicas e partilha de experiencias para inspirar e incentivar viagens em família. Blog sobre viagens com crianças, actividades, psicologia infantil e muito mais.

 COVID-19 - O pedido de uma Psicóloga "Mente sã corpo são"

18.03.20 | Viajante de fraldas

connection-4884862_1280.jpg

Este não é um post sobre as viagens que tanto gosto de fazer, mas sim um pedido de atenção, de moderação, de respeito.

Escrevo enquanto psicóloga, mas também como filha, irmã, mãe e amiga. 

Vivo no Uk 🇬🇧 naquele país que tardou a adoptar medidas restritivas relativamente ao COVID-19, mas que finalmente já começou aplicar. Não venho falar de políticas nem de medidas aplicadas por cada país mas sim de uma área que a mim muito me diz que é a saúde mental.
Todos os dias abro as redes sociais e vejo comentários principalmente de pessoas da área da saúde que a meu ver só acentuam o pânico a ansiedade e a angústia. 

Vou falar muito particularmente em relação à situação do Reino Unido, mas aplica-se a qualquer país. Ler constantemente (especialmente) por parte de técnicos de saúde que "fugiram" daqui, que este governo quer "matar" os idosos, que quer fazer uma "limpeza", que aqui vivemos num "caos", etc etc etc., é completamente desnecessário e a meu ver irresponsável por parte de quem se formou e aprendeu a "cuidar dos outros".

Todos nós vivemos numa situação de incerteza, todos nós temos medo, todos nós estámos em estado de alerta, independentemente de estarmos em Portugal, no Reino Unido ou em qualquer outro país, mas será que precisámos que pessoas que estão directamente ligadas à saúde nos puxem mais para baixo?

Será que pensam quando escrevem como ficam as famílias de quem está no Reino Unido ao lerem esses comentários?

Defendo que a verdade deve ser dita, que a informação é a nossa maior "arma" de protecção, mas não o alarmismo, não opiniões formadas pelo pânico.

Quando alguém da área da saúde faz um comentário "alarmista" deve ter atenção do peso e das consequências vai ter para quem vai ler, uma % vai ter a capacidade de perceber que possivelmente aquela pessoa que escreveu está em pânico, está com medo independentemente de serem médicos, enfermeiros etc, mas outra % só vai reter a parte negativa da mensagem e de forma mais acentuada porque foi dada por um profissional da saúde. Consequentemente vai provocar uma carga emocional maior, gerar maiores níveis de ansiedade e stress, angustia, pânico, etc etc etc.

Quando somos expostos a uma forte carga emocional, o nosso organismo produz hormonas de uma forma descontrolada, afectando não só as nossas células de defesa como todas as funções orgânicas que ele desempenha, comprometendo o funcionamento do nosso sistema imunitário tornando-o menos capaz de combater os agentes externos como os vírus ou bactérias.

Neste momento mais do que nunca temos que estar fortes fisicamente e mentalmente!

Não quero castrar a opinião de ninguém, apenas procuro sensibilizar para o peso que as palavras podem ter e os efeitos que as mesmas podem ter na vida das pessoas neste período tão delicado que vivemos.

Para vírus conseguimos criar vacinas para os combater mas para as doenças mentais não!

 

 

Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.